Como Diminuir a Taxa de Rejeição dos Seus E-Mails em 4 Passos

Caso esteja ingressando no universo do marketing por e-mail, já deve ter percebido que existem muitas métricas que são importantes para construir uma campanha que gere bons resultados.

Uma das métricas que devem ser observadas é a taxa de rejeição dos e-mails enviados, que serve para calcular a quantidade de e-mails devolvidos ao remetente.

Assim, preparei este artigo com intuito de te ensinar o que é rejeição, seus principais efeitos nas campanhas de marketing e 4 fatores que devem ser levados em consideração para reduzir a taxa de rejeição dos seus e-mails.

É claro que existem outros fatores que são tão importantes como os que serão demonstrados no texto, mas estes, a meu ver extremamente importantes.

Então vamos lá!

Entendendo o que é bounce (rejeição)

Uma campanha de marketing, seja ela qual for, precisa oferecer bons resultados. Neste quesito, o marketing por e-mail é um dos campeões, pois oferece um ótimo retorno por investimento.

Contudo, para que sua campanha funcione bem você precisará angariar vários e-mails, certificar que esses e-mails são bons e evitar com que os e-mails que você enviar sejam rejeitados.

O risco de rejeição dos e-mails existe em qualquer campanha de marketing por e-mail, mas isso não significa que seus e-mails possam ter uma alta taxa de rejeição.

Apenas para que você saiba rejeição os profissionais de marketing por e-mail a chama de bounce, sendo dividida em dois tipos: hard bounce e soft bounce. Os e-mails enviados podem gerar bounce por diversos motivos.

O hard bounce acontece quando um e-mail foi enviado para um endereço de email que não existe mais.

Sugiro que você deixe de enviar e-mail para os destinatários da sua base que apresentarem hard bounce, isto economizará o seu dinheiro, e evitará que sua credibilidade fique prejudicada.

Além do hard bounce, também existe o soft bounce que ocorre quando um e-mail enviado para um e-mail ativo, não pode ser entregue ao destinatário.

Aqui estão alguns exemplos a respeito dos dois tipos: quando o endereço de e-mail é inválido, inativo, a caixa do destinatário está cheia, o servidor de email está fora do ar, ou o sistema detecta spam ou conteúdo ofensivo. Esses são apenas alguns exemplos.

Pode ser frustrante ter uma taxa alta de rejeição

Iniciantes no marketing por e-mail acabando se frustrando por ter uma alta taxa de rejeição.

Afinal, imagine o seguinte, você idealizou uma campanha, gastou tempo, dinheiro e esforço para cria-la. Talvez até tenha colocado suas últimas esperanças nela e no final grande parte dos e-mails enviados voltaram para o remetente.

Existem diferentes tipos de rejeição, e ações diferentes para cada tipo. Embora este não seja o objetivo principal deste artigo, os 4 pontos abordados neste artigo vão te auxiliar a reduzir a taxa de rejeição dos e-mails da sua campanha de marketing ou evita-los.

Portanto, não fique frustrado, atenha-se às dicas preparadas para você e tente coloca-las em prática, pois de nada adianta esta informação apenas na sua cabeça.

1 – Coloque na sua lista apenas quem tem interesse em receber seu conteúdo

Em qualquer campanha de marketing por e-mail você precisará ter um banco de dados repleto de e-mails qualificados fornecidos pelos próprios usuários do e-mail.

Essa “lista” de e-mails, formada pelos novos inscritos, são o primeiro passo para obter uma alta taxa de entrega e pôr em prática uma ótima campanha.

A sua lista de e-mail deve ser conter apenas usuários que consentiram integrar esta lista. Portanto, evite comprar listas de assinantes, pois normalmente as campanhas que utilizam este tipo de lista não proporcionam bons resultados.

Uma das principais formas de conseguir novos leads é oferecer conteúdo relevante – como webinars, eBooks, etc. – por meio de landing pages, onde o visitante precisa deixar seus dados de contato para ter acesso ao conteúdo ofertado.

Assim, é recomendável criar um bom formulário de inscrição, possibilitando ao usuário escolher se quer ou não fazer parte da sua lista de e-mail. Não se esqueça, apenas envie e-mails para os destinatários que se inscreveram para recebê-los.

Além dos formulários de inscrição, você pode utilizar para obter assinantes qualificados, a página inicial do seu site, páginas de mídia social e check-out.

Apenas para que não se esqueça, adicione à sua lista apenas aqueles que desejam receber seus e-mails e remova aqueles que não estão interessados. Por fim, não compre listas de e-mail!

2 – Utilize confirmações duplas

O usuário preencheu o formulário, te informou o seu e-mail e você o registro em seu banco de dados. Neste momento, você acaba de conseguir o dado essencial necessário para realizar qualquer campanha de marketing por e-mail.

Mas, isso não é tudo, pois atualmente os profissionais de marketing mais experientes buscam obter um e-mail que seja qualificado e para isso eles utilizam o Double Opt in.

Este recurso substitui o Opt in, que é a mera autorização necessária, dada por um usuário, para receber comunicações por e-mail de uma determinada empresa.

O problema do Opt in é que você não tem muitos recursos para saber se a pessoa que está te fornecendo o e-mail é realmente o usuário daquele e-mail específico.

Assim, para resolver este problema, surgiu o Double Opt in, que funciona da seguinte maneira:

  •         1 – Receba os dados da pessoa que preencheu o formulário ou se inscrever no seu site;
  •         2 – Envie um e-mail de confirmação informado no formulário;
  •         3 – Apenas após o usuário acessar o link de confirmação é que ele fará parte da lista.

Utilizar o Double Opt in é uma boa maneira de nutrir sua base de dados com e-mails qualificados, fazendo com que você tenha um baixo incide de bounce.

Resumindo: o Double Opt in nada mais é que uma confirmação dupla dos possíveis interessados em receber seus e-mails, que garante uma diminuição na taxa de rejeição.

3 – Mantenha sua lista atualizada e limpa

Construir uma lista de e-mails é importante, mas caso você precisará utilizar algum método para mantê-la atualizada. Essa atualização deve ser periódica para que não comprometa suas campanhas de marketing no futuro.

Manter uma lista desatualizada, pode aumentar a taxa de rejeição dos e-mails disparados em sua campanha, ocasionando hard bounces ou soft bounces.

A fim de solucionar este problema, sugiro que inclua um parágrafo curto em cada um dos seus e-mails, junto com um texto informativo e um link que permita aos assinantes atualizarem seus dados.

Outra forma de solucionar o mesmo problema é pedir ao usuário que atualize o e-mail durante o processo de compra de um produto ou serviço.

Além de manter sua lista de e-mails sempre bem atualizada, você deve limpá-la, permitindo que apenas os e-mails qualificados continuem nela. Nada de manter em sua lista e-mails inválidos ou inexistentes.

Assim, caso perceba em sua lista um endereço inválido, um assinante inativo ou algum que tenha denunciado seu e-mail como spam você deve excluído. A limpeza da sua lista deve ser realizada antes de disparar as novas campanhas.

A taxa de rejeição tem um relacionamento direto com o número de endereços de e-mail inválidos em uma lista. Uma última dica, ainda com relação à sua lista de e-mail, é utilizar algum software que permita a validação dos endereços de e-mail recebidos.

Deste modo, você deve examinar periodicamente sua lista de e-mail, mantendo-a mais atualizada possível, a fim de evitar que o taxa de rejeição dos e-mails encaminhados em sua campanha seja alto.

4 – Mantenha consistência

Quanto mais consistente for o envio de e-mail marketing na caixa de entrada do seu lead, melhores serão os resultados obtidos com a sua campanha de marketing por e-mail e menores serão suas taxas de rejeição.

Logo após o usuário fornecer seus dados para determinada empresa, durante um período aproximado de 48 horas ele estará mais envolvido com a sua marca.

Em seguida, a tendência natural é que o assinante, com o passar do tempo, venha a esquecer por qual motivo ele se inscreveu em sua lista ou por que ele ainda continua escrito nela.

Para não cair na curva do esquecimento, uma solução possível é criar um calendário editorial. Neste calendário você pode escolher quais dias os e-mails serão encaminhados e quais os conteúdos.

Outra solução possível, e até mesmo necessária, é utilizar uma ferramenta de automação de marketing por e-mail para que a sua consistência não seja comprometida.

Conclusão

Uma campanha de marketing por e-mail pode te oferecer bons resultados. Uma das condições para alcançar estes resultados é manter uma baixa taxa de rejeição de e-mails enviados aos destinatários.

Para atingir esses resultados sugiro que você não caia na ilusão de comprar listas de e-mails. O que você deve fazer é conseguir os e-mails de modo ético, colocando na lista de e-mail apenas quem tenha interesse em receber seus e-mails.

Utilizar confirmações duplas e validas os e-mails recebidos em seu banco de dados também é uma etapa importante, pois assim você pode obter mais e-mails qualificados.

Para manter uma lista atualizada você pode encaminhar dentro dos e-mails enviados um link para atualização ou implementar a atualização durante o processo de compras.

Por fim, não se esqueça de manter a consistência.

Deixe uma resposta

Fechar Menu